Páginas

quinta-feira, dezembro 29, 2011

...Faúlhas...

A ponta da agulha
Desponta a pele pútrida
Aponta para o sul
Desaponta o velho tolo.

De ponta a ponta
Pela ponte adjacente,
A lua a céu poente.
Diz "olá" ao lobo contente.

Da ponta da agulha
O veneno escorre lentamente.

A velha com pés dormentes.

A lua a oeste, em poente.

Salve ao sol imponente!
Aí vem o sol nascente!

Para descontrair...Simon's Cat in 'Fowl Play'

quarta-feira, dezembro 28, 2011

...vós ouvis?

...Sopra a fé imaculada dos pagãos,
No vento gélido que envolve-lhe a carne...
As profundas marcas das pegadas,
Deixadas pelos monstros da alma.
Achatam o coração, comprimem a emoção.
Não há mais camponesa enraizada.
Não há mais calmaria, ao soar a voz de sinos.
Não há mais refúgio ou morada.
Não há mais o sabor adocicado que deixam os sonhos.
Não há mais enlace arredio dos frios braços.
Só o costumeiro vento,
Só o costumeiro tremor,
Só o costumeiro amargor.

quarta-feira, dezembro 21, 2011

Ao alvorecer.

Da lágrima do ontem,
Tenho ainda a sensação de dissabor.
O sorriso do hoje soa-me vagamente falso...
...Em contrapartida, mostra-se resistente.

Com cálices de lucidez,
Pranteio minha alegria,
E com tenras hóstias,
Alimento-me da encenação.

As cicatrizes e vidros quebrados permanecem,
Porém, é mais contente a vinda do porvir.

domingo, novembro 27, 2011

2009 - HANGAR - Based On A True Story



Disco de 2009 Infallible.

"(...)Here I am in the dark
With my feelings and my scars
Here I am not alone
You are in the roots of my soul

And I always have much more to say
But the wind and the time will find
Some reason to explain my choices
I will take everything in this life(...)"

"(...)Aqui estou eu no escuro
Com os meus sentimentos e minhas cicatrizes
Aqui não estou sozinho
Você está na base da minha alma

E eu sempre tenho algo mais a dizer
Mas o vento e o tempo vão encontrar
Alguns motivos para explicar minhas escolhas
Eu vou aceitar tudo nessa vida(...)"

Para descontrair ...Simon's Cat in 'The Box'

Brindemos

Saúde!

Aos estadistas!

Aos torpes!

Aos estupradores!

Saúde!

Aos miseráveis sem alimento!

As familias morrendo!

Saúde!

Um brinde a imoralidade!

sexta-feira, novembro 25, 2011

Dúvidas

O que temes? Minha ausência, ou a presença?
Sentes algo deveras? Ou se acostumou a sentir apenas?
Te encanta me deixar em prantos decorrentes? Ou faz isso apenas pra sair da rotina em que vives?

Não mais tento me explicar, pois os motivos que tenho são vis aos teus olhos.

Serei eu também, motivo de tua comiseração?

terça-feira, novembro 15, 2011

Red Hot Chili Peppers - Under the bridge

Under the Bridge é um single da banda americana Red Hot Chili Peppers, contida no álbum Blood Sugar Sex Magik como faixa de número onze. Esta música foi lançada em 1991.

Ela foi escrita pelo vocalista Anthony Kiedis, e fala sobre sua relação com as drogas. A ponte mencionada na letra era um ponto dominado por traficantes, ela fica no centro da cidade de Los Angeles.

sábado, novembro 12, 2011

Estremecido

Há em tuas palavras, cada apelo meu.
Tua voz permanece alimentando-me os sonhos.

Em agonia, vejo-lhes acossando.

Observando-lhe jazida ao âmbito.

Veste-me com tua venda proditória.


Tú segues negando...
E eu acreditando.



quarta-feira, novembro 02, 2011

Terçar Ilusão

Em teus olhos estão palavras opostas ao que me diz.
Em teu toque, sinto a repulsa que tenta reprimir.
Quase posso ouvir as vozes que lhe sussurram,
E me pergunto todo dia, por que não estás mais feliz.

Tua voz a ferir-me de tempos em tempos.
O frio remorso já não me consome mais.

E então, desapego.

Permaneço estagnada.

E a mente perspicaz não entende,
Que em um tempo distante aparente,
Ali residia o refúgio de um lar.

segunda-feira, outubro 31, 2011

1991 - Metallica - Nothing Else Matters

1991 foi um ótimo ano para o rock.
Também conhecido como "Black Album", seu disco homônimo é até hoje o disco de metal mais bem-sucedido de todo o mundo, com mais de 22 milhões de cópias vendidas em todo mundo. As letras deste álbum foram escritas por James Hetfield são mais pessoais e introspectivas do que as encontradas nos álbuns anteriores do Metallica. "Nothing Else Matters", expressa a conexão de Hetfield com uma namorada enquanto ele estava em suas turnês. Este álbum também acaba com a tradição do Metallica de ter uma faixa instrumental e de longa duração.

"...Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I don't just say
And nothing else matters

Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters..."


"...Nunca me abri deste jeito
A vida é nossa, nós a vivemos do nosso modo
Todas estas palavras, não são apenas ditas
E nada mais importa

Eu procuro confiança e encontro em você
Cada dia para nós é algo novo
Mente aberta para uma concepção diferente
E nada mais importa..."

segunda-feira, outubro 24, 2011

Apenas mais uma história

Saltos gastos, roupa curta
Olhar vazio, sorriso furtado.
A entrar em um carro
Mais um negócio fechado

Uma lágrima após o gozo.
Um desdém na saída.
Alguns hematomas depois,
Alguns trocados mais rica.

Um filho sem rosto,
Um amor sem gosto,
Dissabor de vida,
Mais uma alma ferida.

sexta-feira, outubro 21, 2011

Coléra

Ludibriada em minhas concepções,
Levada pelas emoções.
O furor que me extasia
É o mesmo que me arruina.

Em pesar jacente,
Envenenando-me a mente.
Erroneamente permaneço observando,
A alma enodoada definhando.


segunda-feira, outubro 17, 2011

R.E.M. - Everybody Hurts - 1992.

Música escrita pelo baterista Bill Berry, lançada em 1992 no Automatic for the People.


O vídeo-clipe da música, mostra a banda presa em um engarrafamento.E aparecem pessoas em outros carros com subtítulos de seus pensamentos aparecendo.

"When your day is long
And the night the night is yours alone
When you're sure you've had enough of this life
Hang on

Don't let yourself go
'Cause everybody cries
And everybody hurts, sometimes..."

"Quando seu dia é longo
E a noite - a noite é solitária,
Quando você tem certeza de que já teve o bastante desta vida,
Continue em frente

Não desista de si mesmo,
Pois todo mundo chora
E todo mundo se machuca, às vezes..."


domingo, outubro 16, 2011

Lume

Um sopro gélido eriça-me os cabelos da nuca.
Pensamentos e imagens tomam conta de minha mente,
E a incerteza ri contente.

Eis ai as distorções que as figuras formam.
Parada, mais uma vez,
Antecedendo o pinote do animal encurralado.

Manipulando o fogo e queimando a alma
Engolindo o comprimido de ânimo
Reijeitando pensamentos persistentes
Voltando para casa mais calma.

As alternativas já estão marcadas.
Os sinais estão anunciados.
Aceito e sigo em frente.

sexta-feira, setembro 30, 2011

Velhice

Tez escura, ressequida
No meio da noite, esquecida.
Observando a luz da lua
Cada calo de sua mão.

Marcas de orgulho, outras de dor
Lembranças tão límpidas na mente
E mesmo com corpo doente
A engelhada sorri para si, satisfeita.

E no vento que invade a janela
As memórias pegam carona
E no meio da noite singela
O sono lhe vem a tona.

quarta-feira, setembro 07, 2011

Alanis Morissette - Ironic

Vídeo clipe da música Ironic de Alanis Morissette, lançado em 1996. Ele recebeu seis indicações no MTV Vídeo Music Awards em 1996 e ganhou três das seis indicações: "Melhor Vídeo Feminino", "Novo Melhor Artista" e "Melhor Edição", e recebeu indicações para o Grammy Awards 1997 na categoria "Melhor Videoclipe" mas perdeu para Free as a Bird dos Beatles.

(Para ver a tradução do vídeo, basta clicar em "cc" na barra do próprio vídeo.)

domingo, agosto 28, 2011

Revérbero


Olhando para o espelho
Vejo olhos iguais aos meus,
E ao mesmo tempo diferentes...
Eles me fitam com interesse indolente.

Gestos feitos por mim,
são reproduzidos a minha frente,
A gêmea e eu, rimos em conjunto,
Então percebo que há lágrimas em seus olhos fundos.

Marcas esquecidas, não se tornam mais ocultas,
Então, estranhamente, meu eu aqui
Tenta se parecer mais com o eu de lá.
E as diferenças entre nós, já não posso suportar.

Me retiro, e a gêmea também.
De volta aquele espelho jamais vou.
E a gêmea, tão pouco retornou.

Avidez


De guisa inocente,
Com ou sem malícia.
Sem ter a ambição de reparar.
Por vezes, o desejo de ambos,
Está além da troca de palavras.

sábado, agosto 20, 2011

Pearl Jam - Jeremy (1991-1992)



Música inspirada em uma nota de um jornal. Um adolescente de Richardson se suicida em frente aos colegas de classe.
Jeremy Wade Delle, de 16 anos, morreu na hora após puxar o gatilho de uma Magnun calibre 357 enfiada em sua boca, por volta das 9:45 da manhã.

O próprio Vedder falou sobre a música em uma entrevista:

“A música veio de uma pequena manchete num jornal, por isso eu acho que: você se mata e faz o maior sacrifício que poderia fazer, sacrificando sua própria vida e seu futuro tentando assim se vingar de tudo, da própria vida, de todos... Mas tudo que se pode conseguir fazendo isso é virar uma manchete de jornal, como aconteceu com Jeremy. Ele se matou e nada mudou, nada muda. O mundo continua e você se foi. A melhor vingança é viver, e provar a você mesmo que você é capaz. Seja mais forte que essas pessoas (que se suicidaram). Então você pode dar as costas e ver como o mundo mudou”

O clipe original foi editado. A cena final antes de aparecer os colegas do Jeremy paralisados, a cena mostrava Jeremy colocando a arma na boca e apertando o gatilho. Na hora do tiro a cena muda para os colegas, com aquela cara de horror e medo, ensanguentados com o sangue do Jeremy.

domingo, agosto 14, 2011

Laços sem nós...


Estou sozinha?
Estou aqui?
Estou em mim?
Quiçá jamais estive em ti.

(...)


Ausência


Me apeteceria ser um silêncio.
Mudo, pleno e imperturbável.
Inquebrável.

Simplesmente contemplar e voltar a casa.

Loreena McKennitt- The Mystic's Dream - Tradução.

Um sonho nebuloso numa noite terrena
Pende da lua crescente
Uma canção sem voz, numa luz eterna
Canta à chegada da alvorada
Pássaros em vôo estão chamando ali
Onde o coração move as rochas
Para lá o meu coração anseia:
Tudo pelo seu amor

Uma pintura em uma parede de hera
Aninhada no musgo verde-esmeralda
Os olhos declaram uma trégua de confiança
E então me afasta para longe
Aonde, ao crepúsculo do deserto profundo,
A areia derrete em piscinas do céu
A escuridão deita seu manto vermelho
Suas lâmpadas me chamarão para casa

E então é ali que se dirige a minha homenagem
Apanhada pelo silêncio da noite
Agora eu sinto, sinto você se mover
E cada respirar é pleno
Então é ali que minha homenagem é devida
Apanhada pelo silêncio da noite
Até a distância, a sinto tão próxima
Tudo pelo seu amor

Um sonho nebuloso numa noite terrena
Pende da lua crescente
Uma canção sem voz, numa luz eterna
Canta à chegada da alvorada
Pássaros em vôo estão chamando ali
Onde o coração move as rochas
Para lá o meu coração anseia:
Tudo pelo seu amor

Vast - Flames legendado.

sexta-feira, agosto 12, 2011

Trocando em Miúdos - Chico Buarque

Eu hoje estou desolado
Desencantado de dor
Pra mim esta tudo errado
Subestimei o amor

Lá fora o tempo nublado
Não quero mais levantar
O seu retrato ao meu lado
Fica a me torturar

Eu hoje estou tão sozinho
Nem preparei o jantar
Falta você no meu ninho
Venha pra cá me amar

A vida passa depressa
Já me cansei de esperar
Estamos no fim da festa
Não há ninguém pra dançar.

(Autor: Renan Silva)

Sendo a indiferença um posto de trabalho,
 Falta de mão de obra qualificada não é um problema.
   Não é dia para isso, eu sei...
    Mas esses dias começaram a ser muitos...

domingo, julho 24, 2011

Pacata

Aqui jaz um vazio em mim.
Desabafo, choro em palavras.


Recordações.
Pele arrepiada.
Lenitivo.
Favônio de ternura em um enlace.

Retorno da alma a casa.

Acalento

Dormirei sozinha, buscando com meus olhos tua face.
Cavando em minhas lembranças o som do teu riso.
Não te preocupes... Eu vou sobrevivendo...

Mundo estranho...

Presente em ti estará cada sorriso e marca de lágrima.


Até os simples pensamentos se prolongaram em suas memórias

E a cada segundo, com coração palpitante, inusitadamente,
Encontrarás mais motivos para sorrir.

sexta-feira, julho 08, 2011

Noturna

Luzes ofuscantes ao longo da cidade.
Gritos e risos abafados ao som da melodia que escapa de alguns lares.
Euforia e medo ocultos pelo denso nevoeiro ao longe.

Raras estrelas escapam para se esticar no manto negro,
Um vento fraco a farfalhar o topo das árvores.
Alguns seres a andar na madrugada,
A pouca luz esconde suas faces.

A passo lento a noite vai se esvaindo,
Raios tímidos da alvorada começam a despontar a leste.
E ao chegar de mais uma manhã,
Percebo que nada mais me resta.

Enfim então, vou me recolher.

quinta-feira, julho 07, 2011

Vincent de Tim Burton - Vincent com legendas em português

O primeiro trabalho em stop-motion de Tim Burton desde o poema as imagens. Conta a história de Vincent Malloy, um garoto de 7 anos que quer ser como Vincent Price. A narração é do próprio Price. Legendas em português.

sábado, julho 02, 2011

Feliz?

Ao perfume de lírios,
O sonho se realiza como o som que recomeça.
E a esperança enfim retorna,
Ao alvorecer de mais um dia.

domingo, junho 26, 2011

segunda-feira, junho 20, 2011

Bolhas de Sabão

Em sua superfície vive o arco-íris.
  Levam a poesia em sabão e água,
    Vivem em tudo e em lugar nenhum.
       Morrem explodindo sem estrondo algum.

Palavras indistintas

Por um instante tenho a sensação de um depois tranqüilo.Ser feliz me parece bom, mas só encontro tal felicidade quando estou só.
O vento adentrando a janela, som de risadas das crianças na rua, o distante latido de um cachorro, os raios mornos do sol da manhã afagando minha pele e o som dos pássaros são meus únicos companheiros. Isso me alegra.
E essa alegria me entristece.

sábado, junho 18, 2011

Águas do lago.

Não sei a razão da qual sentimentos controvérsos sempre se apoderam de mim.
Me fiz de forte inúmeras vezes, mas por mais que o faça,
sinto-me mais uma a reconstar-me em teus ombros largos,
me chamas e vou,
não me difere das tantas outras que passaram pelos mesmos ombros,
que sentiram tuas mãos asperas...
Perdoei cada ato erronio teu, passei meus sentimentos para tras...
Busquei teus afagos, que não passavam de restos.
Me acrescentei a tua longa lista provocadora de decepção...
Mas não penses que não vou submergir de teu denso lago negro,
Mais longe hábito do que pode imaginar,
Em águas tão escuras,
Não cairei novamente...Jamais.

Música dos anos 80 : Tracy Chapman - Fast Car



Adeus descompassado.

Eu queria contar o que estou sentindo,
As sombras se vão,
e sei que ir-me-ei logo.
Mas já me sinto contente,
pois hoje consegui sorrir novamente.

Perdi a sanidade, pois pensei que logo
chamaria minha nova realidade de lar.
Não espere que eu omita todos os fatos...
Não quero feri-lo,
Mas peço que esqueça.
Esqueça até de bater em minha porta.

E sei que ir-me-ei logo.

Como Criança...

Pisar na grama, chafurdar na lama,
Cara ao vento, recolhendo flores,
Na inocência...não saber de amores,
Não se queimar na perigosa chama...

Correr, pular, viver sem preocupação
livre do pejo, dor ou ansiedade...
Não ter paixões...Nunca sentir saudades...
Curtir a vida simples de menino.

Pião na mão, pipa, bola...
Nunca pensar...viver de brincadeira,
nunca guardar rancores ou lembranças.

Desejo de esquecer seus olhos,
que são na vida aguilhões em mim...
Vontade de voltar a ser criança!

Eduardo e Mônica - O filme


Muito bacana esse clipe promocional da Vivo. Música 'Eduardo e Mônica' do Legião Urbana.

Insônia...

Não durmo porque não ouvi a voz que me acalme, 
que me tranquiliza, que me deixa em transe.
Estou acordado e me sinto desamparada.
Em que sonho você está agora? 
Em que lugar seus passos caminham?
Estou incrustado num turbilhão de incertezas e inconsciências...
Nesta noite, onde tudo é mais escuro, onde a lua não brilhou, 
onde as estrelas se quer apareceram, eu me rebaixo a um ser que vai do nada a lugar nenhum.
Meu sono vaga. Vaga pelo seu deserto, vaga pelos seus sentidos.... está perdido na sua voz.

Inveja

Cuidado!
Ela te espreita!


Ora aparece sorrindo,
Ora aparece tristonha.
Camufla a face medonha.
Veneno infiltrado, insistindo.
Sorriso atado no rosto.
Em olhar enviezado.
Traz falso prazer e desgosto.


Amiga de todas as horas,
De teu sangue sequiosa
Por vezes é muito formosa.
Um ódio no olhar te devora...
Quando estais só é gentil.
Mas em grupo te isolas,
O falso equilíbrio degringola.
Tudo passa a ser ardil!


Amiga das horas perdidas.
Ausente nas horas difíceis.
Garras de unhas retráteis,
Autora de longas feridas.


Do ciúme que é posse, é diferente.
No oco da alma ataca.
O olho, no fundo, destaca
Enorme ódio carente.


Cuidado!
Ela te espreita!

_

Passagens...

Trago rugas no rosto
Rugas de uma vida inteira
Mesmo em pouca idade
Dia a dia me é proposto
Assumir mais uma mensagem

Mensagem de dor e ausência
Põe meu pensamento em desalinho
Feita de lágrimas e insistência
Que a vida pôs no meu caminho.

Insistência de permanecer aqui
Sem vida, como nuvem descendo ao chão
Faz tempo que a ternura escondi
Num recanto escuro do coração.
Minha palavra trago esfarrapada
E o vento já não me acaricia
Sinto minha carne pisada
Por ver passar mais um dia.

Nem a solidão por companheiro já tenho.
Por me sentir tão só.

Companhia nenhuma, sufoco na escuridão
Há séculos se repete esta primavera
E eu a mesma ave a esvoaçar
Talvez haja outra ainda à minha espera
E eu terei, na boca um pássaro para cantar.

Se o resto de esperança
de mim não abalar...
Estas escondido aqui
observa tua presa
e então sorri...

Prossegue eliminando as minhas emoções,
deixando me apenas com a dor,
de tantas mudas canções
riso malvado, doce odor...

Tens beleza sobrenatural!
Certeza não tenho,
de quais sentimentos mais deixou.
Pensamento inquietante que abstenho...

Surges atraído pela minha voz,
seu inútil monstro traidor.
Assombras-me quando estou só
rei do inferno, eu pecado, tu pecador...

...

Aproveite o agora...

Natureza Sob o Jugo da Navalha

Salvem os rebentos
Queimem os remanescentes.
Mostro-lhe a insólita existência.
Ainda em vós o jugo da navalha.

Recordações e ramos aduncos.
Verdugos em vestes brandas.
Pranteam dissimuladamente,
Suas forjas a todo vapor.

Corpos encerrados, rasgados lentamente.
Não há razão sólida.
Navalha mata, navalha suja,
A terra encobre os rostos cobertos de sangue e lágrimas.

Ainda restam bastardos.

sexta-feira, junho 17, 2011

Para distrair....



Tenho jazido em minha cadeira,
À espera de Fantasmas que nunca chegam...

"Lá fora a lua intensa
brilha com uma luz plena."
Lúcio Vérnon

O começo do mundo sempre foi o agora,
nada pré determinado, ou com alguma obrigação.
Jogo de espelhos em um circo barato.
Há um aqui em cada lugar que se segue.
O centro não existe mais,
todos os pontos de vista, por hora, são centrais,
e todas as visões deste mesmo mundo,
não passam de periféricas...

...Descrevendo...

Eu sou a alegria, o tempo -passado,presente,futuro- de certo já sei. Sou um filme de amor, comédia, aventura, um drama, talvez... Eu sou a timidez em uma estúpida criatura. Sou usada para diversos fins... E pouquíssimos começos. Sou um peixe fora d’água... Respiro paixão e transpiro amor. Eu sou a saudade. Solidão. Produzo e sigo meu destino... Erro, acerto, vivo... Aprendo e concerto. Eu sou mulher amada, odiada, desprezada e querida. Partirei...não há aviso prévio. Deixarei saudades que logo vão passar e sem a certeza de algo importante deixar...mas uma vida findará.

Teus Olhos

Teus olhos portam o encanto,
Que vejo mesmo em meio a turba.
Justificam minha deploração.
E destes versos dolentes são a razão.

Comoventes, belos e minuciosos.
Olhos que são presentes em meus pensamentos.
Conhece meu sonho mais latente,
Provocando em mim tantas lágrimas insistentes.

Coração vivendo em desalinho...
Como me distanciar desses teus olhos?
Fugazes, misteriosos.
Imploro ao dono de tãos negros olhos que convença-me a ficar.

Antes mantinha meu coração palpitante,
Agora representam apenas tua alma aleive.
Assim mesmo, me perco neles inebriante,
Alheia a tudo que tive.

Sempre que esses olhos viperinos
Se aproximam dos meus,
Sinto-me tresloucar rapidamente.
Olvido sempre do adeus

quinta-feira, junho 16, 2011

Falta

Senti falta de ti nesta noite.

Senti falta das conversas


Sempre sinceras entre nós...
Da chegada e, de forma inversa,
Do adeus, horas após...
Senti mais falta ainda
De nosso tão ardente entendimento...


De teu encanto que não finda,
Dessa entrega livremente.
Senti falta de ti...


Não pense que não, 
Trago-te aqui, 
Bem guardado, 
No coração saudoso e apressado,
Que mesmo em silêncio
Bate os segundos 
Contando-os um a um, a espera de ti.

Pássaros

"Pássaros
 Com seu lindo canto,
 para meu espanto,
 veio me trazer
 velhos sonhos desconhecidos
 de um coração tão sofrido."

Messe

Em tons de vermelho tingem-se meus olhos,
Aprecio o rancor que me proporcionas,
Doce alvo de suas garras fatais.
Tento me distanciar uma vez mais.

Presa em ramos espinhentos e chorando copiosamente.
Por que me atinges tão brutalmente?
Em casa chegas, lugar que outrora chamei de lar,
Tiras-me minha família, tiras-me o sono,
Levas consigo tudo que me foi valioso.

Em panos brancos guardo teu sangue,
De sorriso aberto me lembro da lâmina ao cercear-lhe.
Não me tome como monstro,
Sou apenas o fruto daquilo que você semeou um dia.
Eis a sua colheita.
Licença Creative Commons
This work by Sara Müssnich is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License. O Plágio é crime e está previsto na lei N° 9610 sobre direitos autorais.